A declaração de imposto de renda de 2021 chegou.

O ano passado voou e parece que mal declaramos o imposto de 2020 e já chegou a época de declarar o de 2021, por isso trago nesse artigo as principais dúvidas e novidades que você precisa saber. Vamos juntos nessa leitura?!

A DIRPF é uma obrigação anual, para algumas pessoas físicas, que iniciasse sempre no fim do 1° trimestre do ano e termina normalmente no último dia do mês posterior. Esse ano a declaração teve início em 01 de março. A receita federal estima que receberá até dia 30 de abril (prazo final para declarar) pouco mais de 32 milhões de declarações.

A grande novidade esse ano, é ter como uma das obrigatoriedades a declaração do auxílio emergencial, que foi criado em 2020 por conta da pandemia do covid-19, onde milhões de brasileiros perderam suas fontes de rendas, e com isso precisou se beneficiar dessa condição criada pelo governo.

A dúvida que se cria junto com essa novidade é: – Sou obrigado (a) a declarar o IRPF, apenas por ter utilizado esse beneficio no ano anterior? A resposta é não!

O contribuinte continua sendo aquele que se enquadra dentro de pelo menos uma das obrigatoriedades definidas pela receita federal. Uma condição que transforma quem recebeu o auxílio emergencial em contribuinte, é ter auferido no ano-calendário de 2020, rendimentos tributáveis igual ou maior que R$22.847,76.

Caso você não tenha sido beneficiado do auxilio, torna-se obrigatório a declaração no caso de ter obtido rendimentos tributáveis igual ou maior que R$ 28.559,70.

Quer saber mais? Baixe nosso ebook completo para saber mais sobre quem precisa declarar o IRPF.

Bianca Cento é contadora formada pela Universidade Nove de Julho (2015) e sócia da Empresa do Futuro, uma Startup digital que atua com suas marcas e soluções: Contabilidade Consciente e Consultoria Consciente.

O passo a passo da Pesquisa de Mercado

A Alpha Cosméticos precisa realizar pesquisa de mercado para elucidar as seguintes questões: o posicionamento correto da marca no mercado, a entrada de novos produtos veganos no mercado e também o teste da eficácia da publicidade que gira em torno das campanhas de divulgação da empresa. Assim “uma das funções da pesquisa de mercado é justamente identificar alguns aspectos em relação ao público das organizações, como as preferências, hábitos e intenção de compra, o perfil demográfico e socioeconômico, benefícios procurados e prioridade de consumo” (Samara e Barros, 2007; Sebrae 2018).

Desta forma, os seguintes pontos devem ser considerados no passo a passo do planejamento das pesquisa de qualquer pequeno negócio:

Coleta de Dados On line: desenvolvimento de questionário com as principais questões pertinentes ao posicionamento da marca e público consumidor. Este questionário deve apresentar as seguintes perguntas principais, podendo serem desenvolvidas ou acrescentadas questões pelo time gestor da pesquisa: Faixa Etária do grupo consumidor; quanto está disposto a gastar em cosméticos para a pele e cabelo mensamente (faixa de valor); a questão de produto vegano é uma condicionante para a compra do produto?; através de quais canais de compra costuma adquirir produtos de beleza?; a opinião de um terceiro influencia no seu poder de decisão sobre compra de produtos?; quais sites e blogs costuma consultar para decidir sobre compra de produtos?; conhece sobre os novos produtos da Alpha? Como?; Você conhece o site de vendas da Alpha Cosméticos? É um canal adequado de compra?; Costuma utilizar produtos “anti-idade”? Acha primordial nos dias de hoje?. A aplicação desta pesquisa de mercado on-line deve  ser difundida através das mídias sociais da Alpha, com campanhas específicas que delimitem adequadamente o público a ser atingido, através de todos os canais atingidos pela Alpha. A amostragem mínima sugerida é a pesquisa com um público mínimo de mil pessoas por praça da pesquisa (São Paulo e Rio de Janeiro), com uma chance de acerto de 95% de confiança (MALHOTRA, NUNAN; BIRKS 2017).

Coleta de Dados através do método de Grupo Focal: devido à busca de resposta qualitativas, a empresa deverá utilizar também a reunião de grupos focais, de 6 a 10 participantes, preferencialmente com formadores (as) de opinião, jornalistas da área da beleza e blogueiros do ramo da beleza, a fim de identificar claramente qual a abordagem necessária para a apresentação de novas linhas de produtos a estes públicos em geral e o seu engajamento nas redes sociais.

Outro passo não menos importante é a Pesquisa de Mercado Secundária, através da observação geral do momento econômico e outras premissas do mercado consumidor em que a empresa atua. Você pode saber mais baixando o e-book com mais detalhes, e sua aplicação é para qualquer tipo de negócio. Antes de contratar uma empresa com valores que nem sempre são possíveis ao pequeno empreendedor, saiba que o SEBRAE oferece material amplo para elaboração de todas as pesquisas citadas neste artigo.

Flávio Freitas é administrador de empresas formado pela UNIFEI-SP (1997). É formado pela FIA-USP em MBA em Recursos Humanos (2003) e Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho (2004). Com 30 anos de experiência em auditoria (BDO) e consultor em empresas do setor de indústria, serviços e comércio desde 2003, atua também como produtor cultural no mercado de música e dança (desde 2005) e criou a Empresa do Futuro, uma Startup digital que atua com suas marcas e soluções: Contabilidade Consciente e Consultoria Consciente. Atualmente está cursando Ciências Contábeis na FIPECAFI-SP e MBA em Marketing Digital na FMU-SP

Você sabe o que é Arquitetura da Informação?

Você já acessou algum site onde de cara as coisas parecem que não vão bem? Sistemas de buscas confusos, etapas intermináveis de confirmações na hora de finalizar uma compra, links de produtos e serviços que não funcionam…pois bem, o que está por trás disso é a arquitetura da informação, que deve ser muito bem planejada no desenho de seus negócios digitais.

Uma empresa do setor financeiro se perdeu durante o crescimento de seu site, apresentando sérios problemas de desenho de informações no seu site de relacionamento com o cliente, o que causa uma dispersão de tráfego e também não é uma forma objetiva de vendas de serviços. O mais incrível da Arquitetura da Informação, é que ela tem suas origens totalmente ligada à história do desenvolvimento da tecnologia pelo homem. Pessoalmente, quando tive primeiro contato com o termo, pensei que se tratava mesmo de um bicho de sete cabeças (mas não é). Dialogando com Negroponte (2008), Pake (1985), Hearst (2009), Wurman (1996), entre outros autores, León (2008) faz uma revisão histórica e crítica sobre o uso do termo arquitetura nos contextos tecnológicos, indicando que o termo começa a ser usado em contextos computacionais, mais especificamente pela empresa IBM por volta de 1959. Vestígios do uso do termo são encontrados em 1962 no livro Planning a Computer System: Project Stretch, editado por Werner Buchholz (1). É preciso entender a sua função clara para uma melhor aplicabilidade nas empresas e no remodelo de comércios virtuais e sites de relacionamento de marcas com os consumidores, pois o que está em jogo é a relação como o potencial cliente enxerga essa interação, e um site confuso, mal feito, com caminhos de navegação que não são adequados, acabam criando uma imagem muito negativa para a marca.

Dessa forma, apresento a solução do problema através da adoção de três passos pela equipe de Gestão. Inicialmente deve ser concebido um planejamento estratégico que englobe o entendimento dos produtos ( com forte participação do Marketing). Todos os envolvidos devem entender claramente suas funções e de que forma irão influir no processo. Questões importantes devem ser respondidas: 1 – Como será a migração do site atual para o site novo? 2 – Qual será a linha de comunicação visual do novo site? 3 – Como deverá ser claramente organizado o sistema de buscas? 4 – Qual o perfil do meu público consumidor? Como o seu comportamento pode influir no desenvolvimento da nova proposta? 5 – Podemos fazer uma pesquisa rápida com dados do CRM para identificar os principais problemas? Podemos fazer uma pesquisa rápida com a nossa base de relacionamento?

Se interessou em saber mais sobre o assunto? Seguem mais informações no e-book que você pode baixa aqui nesta página, com dicas completas sobre o que observar no momento de construção de uma site, e posicionamento de seu negócio on line. Boa leitura!

Flávio Freitas é administrador de empresas formado pela UNIFEI-SP (1997). É formado pela FIA-USP em MBA em Recursos Humanos (2003) e Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho (2004). Com 30 anos de experiência em auditoria (BDO) e consultor em empresas do setor de indústria, serviços e comércio desde 2003, atua também como produtor cultural no mercado de música e dança (desde 2005) e criou a Empresa do Futuro, uma Startup digital que atua com suas marcas e soluções: Contabilidade Consciente e Consultoria Consciente. Atualmente está cursando Ciências Contábeis na FIPECAFI-SP e MBA em Marketing Digital na FMU-SP.